insitu.BIOMAS – Reinventar sistemas de biofabricação para a produção de implantes temporários para a regeneração de tecidos

Aviso: 33/SI/2015
Número do projeto: 017771
Código: POCI-01-0247-FEDER-017771
Data de aprovação: 21-07-2016
Data de inicio: 01-07-2016
Data de fim: 30-06-2019
Entidades Beneficiárias: 3DTECH, Grandesign, AMCubed, IPL-CDRSP, UPORTO – ICBAS, CHLeiria
Região de intervenção: Centro e Norte

Enquadramento

A substituição, regeneração ou reparação de um tecido ou órgão devido ao envelhecimento, doenças, acidentes e defeitos de nascença, continua a ser um problema a nível mundial. A transplantação é terapia mais comum a dar resposta a este problema, no entanto esta terapia apresenta elevados custos associados à atividade e ao elevado nível de especialização exigido aos profissionais de saúde.
As técnicas associadas à transplantação de tecidos ou órgãos são complexas e apresentam várias limitações.
A Engenharia de tecidos surge assim como uma abordagem promissora para a regeneração de órgãos e tecidos, através da cultura e células do próprio paciente em substitutos biológicos (Scaffolds) e implantação no paciente para a regeneração do novo tecido.
Com o objetivo de produzir substitutos biológicos através de técnicas de fabricação aditiva, surgiram recentemente algumas empresas com soluções de impressão 3D especificamente para a área médica. No entanto, os equipamentos desenvolvidos apresentam algumas limitações das quais se destacam as suas grandes dimensões, impossibilidade de combinar diferentes técnicas de fabricação e materiais, reduzindo controlo na definição das características geométricas e estruturais da estrutura 3D, sistema operativo complexo para o utilizador, entre outras.
Identificados os problemas, o desenvolvimento de um sistema de biofabricação capaz de responder às necessidades dos profissionais de saúde para utilização em contexto hospitalar, permitirá consolidar a aplicabilidade dos sistemas de impressão 3D para utilização na área médica.
O equipamento de biofabricação que se pretende desenvolver no âmbito deste projeto irá permitir a produção de implantes temporários em ambiente hospitalar, através de reinvenção das tecnologias de biofabricação. O sistema irá fornecer ferramentas inovadoras, desenvolvidas por especialistas em engenharia, design e biomateriais, com o objetivo de construir um equipamento compacto e funcional para o utilizador.

Projeto

O projeto insitu.BIOMAS, representado por um consórcio multidisciplinar, surge com o objetivo de implementar uma nova estratégia para a produção de implantes temporários para a regeneração de tecidos.
No âmbito do projeto pretende-se desenvolver um sistema de biofabricação totalmente adaptado para utilização em contexto hospitalar, concebido para profissionais de saúde investigarem e implementarem novas soluções para dar resposta aos problemas associados à escassez de órgãos e terapias de transplantação. O novo equipamento de impressão 3D reinventado para utilização em contexto hospitalar, permitirá a produção de implantes temporários em ambiente estéril, através da utilização de diferentes tecnologias de biofabricação e ferramentas inovadoras adaptadas às necessidades dos clínicos e técnicos de saúde. Isto só é possível através da consolidação das dinâmicas de articulação entre a investigação das entidades de IDT envolvidas (ao nível da engenharia de tecidos, da Engenharia Biomédica, dos Biomateriais), as entidades empresariais.
O equipamento inovador terá um design compacto e uma interface gráfica simples e intuitiva para um fácil manuseamento de todos os sistemas. As funcionalidades do equipamento insitu.BIOMAS irão proporcionar ao profissional de saúde a obtenção de implantes temporários de uma forma mais simplificada, permitindo uma reduzida intervenção do utilizador durante o processo de produção.

Ficha de Projeto